Total de visualizações de página

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

FUTEBOL... FUTEBOL... FUTEBOL...

Chegamos ao final do ano com poucas alegrias e muitas tristezas no futebol. A conquista da SE Palmeiras depois de 22 anos mereceu as manchetes pelo ressurgimento de um dos maiores clubes do futebol na liderança desse esporte. A tragédia com a delegação da Associação Chapecoense de Futebol que comoveu o mundo foi à nota mais triste do esporte mais popular em nosso país este ano.

A FIFA projeta um Campeonato Mundial de Futebol com 40 países na chamada Fase Final ao invés dos 32 atuais. Seriam 88 jogos em 32 dias a partir de 2026. Ultimamente a qualidade foi deixada de lado no futebol e os interesses voltaram-se inteiramente para o aspecto financeiro.

Com as altas somas pagas aos jogadores – fora da realidade mundial – os clubes, ligas, federações, confederações e a FIFA procuram soluções.
A utilização do vídeo em jogos de futebol testado no Mundial de Clubes no Japão pode ser uma solução, mas, apenas para saber se a bola entrou ou não. Tirar a dúvida quanto às faltas, penalidades, impedimentos e outros lances vão tirar completamente o futebol de sua essência.

Lembro-me de umas três a quatro décadas quando o brilhante Orlando Duarte Figueiredo, o Eclético, meu colega de Jovem Pan e um dos mais consagrados jornalistas brasileiros resolveu enviar uma sugestão a FIFA. Orlando sugeriu a “extinção” do impedimento no futebol. Não houve quórum para a ideia.

O ano termina com muitas contratações, especulações e a chegada de cada vez mais estrangeiros para reforçar nossos times. É isso aí. 

Nenhum comentário: