terça-feira, 6 de janeiro de 2015

O RÁDIO BRASILEIRO



Recentes pesquisas mostraram que o rádio continua em alta em todo o país. Em São Paulo esse levantamento mostrou que o rádio tem mais audiência que a televisão até ao meio dia. E mesmo depois desse horário quando a televisão o supera, o rádio também tem sua audiência aumentada. O rádio continua imbatível, pena que hoje muitas emissoras continuam nas mãos de pessoas que não são da área. Li outro dia que emissoras do exterior voltarão a transmitir em Ondas Curtas. A internet ajudou muito a difundir ainda mais o rádio, mas nem todos tem acesso a esse sistema de informação. O que se lamenta é a qualidade do rádio atual. Nas FMS onde a audiência é maior, a programação das mais ouvidas reproduz o que o rádio AM sempre fez. A maioria prefere programações destinadas à juventude. São programas que só interessam mesmo aos jovens. O rádio AM vai para a frequência FM, mas tem que mudar muito e acabar com as terceirizações. Só gostaria de saber por que o Ministério das Comunicações ainda não tirou do ar os prefixos que não são explorados por aqueles que receberam a Outorga do governo para funcionar. Esse é o grande problema do rádio AM onde qualquer pessoa tem acesso desde que compre o horário. Como está começando uma nova gestão governamental Ministério das Comunicações, Anatel e Abert poderiam acabar com isso. Isso deveria ser prioridade para quem dirige estes órgãos. É isso aí.

Um comentário:

Adalberto Day disse...

Edemar
Rádio será sempre a paixão das multidões. Ontem 13 de fevereiro dia internacional do rádio que o diga. Data comemorada desde 2012. O Rádio a tendencia é ser cada dia melhor, falta um pouco mais de comprometimento de seus dirigentes em abordar assuntos com mais qualidade, e de retornar as transmissões esportivas tão empolgantes como foi nas décadas de 1950 até 1980.
Adalberto Day cientista social e pesquisador da história em Blumenau