terça-feira, 3 de dezembro de 2013

MORREU "EL VERDUGO"

Pedro Virgílio Rocha Franchetti que faria 71 anos nesta terça-feira faleceu ontem em São Paulo vítima de atrofia do mesencéfalo, doença degenerativa que o acompanhava há cinco anos. Filho de pai brasileiro e mãe uruguaia foi um dos maiores jogadores da história do futebol. Além de craque era um “gentleman” fora dos gramados. Lá dentro dava o sangue pela camisa que vestia e não admitia moleza de seus companheiros.  Bati longos papos com ele quando pela Jovem Pan acompanhava os jogos do São Paulo pelo país afora. Rocha sempre foi um bom papo. Ao lado de Randal Juliano trocamos muitas ideias e sempre vimos nele além do jogador excepcional que foi uma pessoa atenciosa com todos. Marcou época no futebol uruguaio onde começou sua carreira sendo campeoníssimo pelo Penarol. Conquistou títulos nacionais, da Libertadores e foi bicampeão mundial de clubes pelo time uruguaio.  

Chegou ao São Paulo em Setembro de 1970 depois da Copa do Mundo do México. No tricolor paulista foi um dos maiores ídolos. Saiu do São Paulo em 1977 para jogar no Coritiba e depois no Palmeiras, Bangu e no Monterrey do México.  Encerrou sua brilhante carreira em 1980. Defendendo o Uruguai em quatro mundiais. Foram 52 partidas pela Celeste Olímpica com 17 gols assinalados. No Peñarol marcou 81 gols em 159 jogos, pelo São Paulo disputou 375 partidas marcando 113 gols. Tornou mais tarde treinador passando pelo Mogi Mirim, Portuguesa de Desportos e Internacional. Recebeu de um escritor uruguaio o apelido de "El Verdugo" porque fazia o que queria com a bola e acreditava totalmente nele. Ouça um dos gols de Pedro Rocha marcado em 1976 na goleada do São Paulo sobre a Portuguesa de Desportos por quatro a zero.
video

Um comentário:

mariotomazella disse...

Narrava pouco esse narrador, hein...rsrs.... Apesar de corinthiano, sempre admirei o Pedro Rocha, pois, além de excelente jogador, sempre foi um ótimo caráter.

Mario Donizetti Tomazella
Novo Horizonte SP