Total de visualizações de página

quarta-feira, 29 de junho de 2011

MÁRIO CELSO PETRAGLIA ESTÁ VOLTANDO

Foto: Gazeta do Povo
Passei grande parte das férias de minha juventude na casa dos meus avós maternos na cidade de Curitiba. Recordo-me quando tomei a primeira Coca-Cola no Passeio Público. Lembro do campo do Imperial em Campo Comprido em que meu irmão Valdir e eu demos os primeiros chutes da bola Walter ganha no Natal de 1955. O campo nem gramado tinha, era barro puro, mas como ficava próximo da Chácara dos avós era lá que a gente batia uma bolinha. Lembro-me enfim da Curitiba como pouco mais de 200 mil habitantes e hoje com quase dois milhões. Lembro-me da primeira vez que pisei o Estádio Durival Brito e Silva para transmitir pela Rádio Nereu Ramos o amistoso CA Ferroviário e Grêmio Esportivo Olimpico de Blumenau em 1965 que terminou empatado em um a um. E lembro muito bem dos muitos jogos que transmiti no Estádio Belfort Duarte, hoje Couto Pereira. Jamais me esquecerei quando fui recebido por Euclides Cardoso de Almeida e Edmilson Phol em Setembro de 1994 na Rádio Clube Paranaense. Lembro-me da inauguração da Arena da Baixada em 24 de Junho de 1999 quando o Atlético derrotou o Cerro Porteño do Paraguai por dois a um. Eu estava lá e narrei o jogo pela B-2. Lembro-me da emoção que tomou conta de todos e especialmente de Mário Celso Petraglia, o homem que foi o principal responsável pela grande obra. Depois o Atlético foi campeão brasileiro, vice-campeão, disputou a Libertadores, mas, ainda não concluiu o estádio. Já se vão 12 anos da inauguração. Muitos sucederam Mário Celso Petraglia. Há um ano cruzei com Mário Celso Petraglia na Rua Pamplona aqui em São Paulo. Conversamos sobre vários assuntos, mas, o principal foi sobre seu afastamento do Atlético. Ele categórico me disse: “Annuseck, não quero mais saber nada do Atlético, já fiz a minha parte”. Eis que lendo ontem o site da Gazeta do Povo de Curitiba me deparo com a manchete: “Antes eu tinha a posição de que não seria [candidato]. Depois, comecei a receber pressão [para me candidatar] de todos os lados", disse Petraglia na coletiva no Hotel Pestana, no Centro de Curitiba”. O clube atravessa uma séria crise no seu futebol que é o seu principal produto. A volta de Mário Celso Petraglia odiado por uns, amado por outros pode ser a solução que o clube precisa neste momento. E também para que as obras de conclusão da Arena da Baixada finalmente aconteçam. As eleições estão marcadas para Dezembro, mas poderão ser antecipadas. É isso aí.

Nenhum comentário: